Home

Últimas notícias

 

Vandalização da Sinalização do Caminho da Mata Atlântica no Parque Nacional da Tijuca

A FEMERJ vem trazer informações sobre um grave acontecimento no Parque Nacional da Tijuca – PNT. Recentemente, destruíram parte da sinalização de trilhas do PNT, mais especificamente as placas e marcações do Caminho da Mata Atlântica, sem que houvesse qualquer discussão nos conselhos consultivos, nas câmaras temáticas e em quaisquer outras instâncias das quais o montanhismo organizado faz parte.

O montanhismo é uma cultura secular que deve ser respeitada, cabendo ao poder público escutar os montanhistas e aos montanhistas lutar pela manutenção de seus princípios.

Informe sobre Fake News

Visando nivelar as informações a respeito de ‘fake news’ envolvendo evento apoiado pela ABEE, a FEMERJ esclarece:

1) Houve uma solicitação da organização do referido evento para receber o apoio da FEMERJ, que concordou em apoiar.

2) Após reuniões, trocas de ideias e alinhamento sobre como o apoio poderia ser realizado, a FEMERJ foi informada pela organização que a ABEE havia imposto a omissão da Federação como apoiadora.

3) Ao informar às entidades filiadas sobre o ocorrido, estas solicitaram à diretoria da FEMERJ uma reunião com o intuito de entender o contexto da situação e do histórico da atuação da ABEE contra a Federação.

4) A reunião ocorreu com a participação da quase totalidade das entidades filiadas, onde foram niveladas as informações para os representantes das entidades.

5) As entidades optaram então por não vincularem sua imagem ao evento, considerando o histórico das atuações da ABEE, observando o caráter de liberdade e autonomia que sempre pontuou a participação das entidades sob o formato de federação.

Travessia da Serra Negra fechada

Por conta da situação atual da Covid-19, para a proteção do bairro rural de Itamonte, o chefe do Parque Nacional de Itatiaia (PNI), Luiz Aragão, determinou hoje (dia 17/03/2021), o…

Montanhismo é declarado patrimônio cultural imaterial do Estado do Rio de Janeiro

Foi aprovado no dia 11/02/2021 o Projeto de Lei 1.199/2019 que considera como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro a prática do Montanhismo.

O reconhecimento do Montanhismo como patrimônio cultural é uma bandeira histórica levantada pela FEMERJ e a CBME. Este reconhecimento é um marco importante para o estímulo e para preservação do montanhismo como uma destacada atividade esportiva e recreativa secular que possibilita a experiência de uma vivência responsável em ambientes naturais, tanto em termos ambientais, como de segurança física. Com o decisivo apoio do Deputado Carlos Minc, sempre sensível ao tema da conservação ambiental e de questões relacionadas ao montanhismo, foi possível esse reconhecimento como um instrumento legal. A justificativa do Projeto de Lei explicita a importância desse reconhecimento:

“O montanhismo sintetiza a comunhão do homem com a natureza como poucas atividades. A experiência adquirida em mais de um século de montanhismo atribui uma característica única em relação à inegável responsabilidade com que ele é praticado hoje no Rio de Janeiro, tanto em termos de segurança física quanto ambiental.