FEMERJ

O que é a FEMERJ?

A FEMERJ é a Federação de Esportes de Montanha do Estado do Rio de Janeiro, é composta por onze entidades: dez clubes de montanhismo e uma associação de profissionais de escalada, e tem como objetivos: a organização do esporte no Estado, difusão da cultura de montanha, debate em torno das melhores práticas, realização de campeonatos e a promoção de um montanhismo autônomo, responsável e de mínimo impacto.

A FEMERJ não certifica ou homologa guias (amadores ou profissionais) de montanhismo, escalada ou técnicas verticais. A filiação à FEMERJ não envolve avaliação técnica ou psicológica. Ser associado à FEMERJ não significa que a pessoa esteja apta a guiar ou promover excursões de qualquer natureza.

femerj_estatuto

 

Como a FEMERJ está organizada?

A diretoria da FEMERJ trabalha voluntariamente e é eleita bianualmente por seus associados durante a Assembleia Geral. A diretoria é composta por: Presidente, 2 Vice-Presidentes, 6 Diretorias (Técnica, Competições, Meio Ambiente, Financeira, Comunicação e Jurídica), Secretaria e Conselho Fiscal.

A FEMERJ também organiza grupos de trabalho (GTs): técnicas e segurança em escalada (proteções fixas, resgate e outros), manejo de áreas naturais, entre outros.
Os GTs têm como objetivo realizar ações e aprofundar a discussão sobre temas específicos, contando com a participação de voluntários.

 

Ética

O montanhismo é um esporte de liberdade, e tudo o que não precisamos é levar as regras e leis da cidade para a montanha. Mas isto só é possível porque o montanhista que se define como tal, segue dois princípios básicos: proteger as montanhas e respeitar os outros que as frequentam.

A diretoria da FEMERJ e em particular o Departamento Técnico definiu o nosso Código de Ética, com o objetivo é que esse documento reflita os valores atuais do montanhismo fluminense, tendo como foco principal o respeito ao próprio montanhista e ao meio ambiente onde praticamos nosso esporte.

Um Código de Ética torna-se imprescindível na orientação dos escaladores e montanhistas, sejam em locais onde já existam uma consciência sobre o tema ou em áreas onde não haja um forte consenso de opinião quanto ao melhor caminho a seguir.

A intenção deste documento é abordar questões do montanhismo de forma não imperativa, mas que coloque sempre o praticante para pensar antes de cada ato na montanha, refletindo assim os nossos ideais no esporte através dos tempos.

A FEMERJ pretende trabalhar nas atualizações deste documento sempre que necessário, pois entende que este tema esteja sempre em constante evolução.

Baixe aqui o nosso Código de Ética e veja em nossa biblioteca outros documentos relacionados ao tema.

 

Quais as principais realizações da FEMERJ?

  • Princípios e valores do montanhismo:
    Promoção da autorregulamentação, autonomia esportiva e do direito ao risco, lutando contra leis, normas e regulamentações externas que interferem no montanhismo.
  • Acesso às montanhas:
    Criação do programa visando a manutenção e abertura de acessos a áreas de escalada e montanhismo.
  • Presença nas unidades de conservação (UC):
    Presença nos Conselhos Consultivos e Câmaras Técnicas dos Parques Nacionais de Itatiaia (PNI), Serra dos Órgãos (PNSO), Tijuca (PNT); Parques Estaduais da Serra da Tiririca (PESET), Pedra Branca (PEPB), Três Picos (PETP) e Pedra Selada (PEPS); Parque Natural Municipal (PNM) da Catacumba; Monumentos Naturais (MONA) do Pão de Açúcar e Morro da Urca, da Pedra do Elefante e das Cagarras; Mosaico Carioca e Câmara de UCs do Conselho Municipal de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro.
  • Segurança em Escalada:
    Mais de 500 proteções doadas para manutenção de vias, estudo sobre corrosão e proteção fixa, incluindo vias ferratas, recomendações técnicas, sinalização e alertas de segurança.
  • Campeonatos de Escalada:
    Organização de mais de 30 etapas de campeonatos estaduais e nacionais.
  • Montanhismo Responsável e Conservação:
    Realização dos Seminários de Mínimo Impacto para a Urca (MONA Pão de Açúcar), PEPB, PESET, PEPB, PETP e PNI.
  • Semana Brasileira de Montanhismo:
    Realização e organização de todas as edições, incluindo Congresso Brasileiro de Montanhismo e Escalada, Encontro Científico, Curso de Acesso e Conservação, Workshops de Segurança, entre outros.
  • Abertura de Temporada de Montanhismo (ATM):
    Realização do evento mais tradicional do montanhismo brasileiro e inclusão da ATM no calendário oficial do Rio.
  • Conservação de Áreas de Montanha:
    Recuperação da trilha do Morro da Urca, mutirões de limpeza e de magnésio de boulders, reflorestamento, sinalização, manutenção de trilhas.
  • Manejo de Montanha:
    Publicação de documentos de manejo de visitação, manejo de escalada e realização de cursos de Manejo em Montanha e Recuperação de Trilhas.
  • Debates sobre Visitação em Montanha:
    Co-realização da 1ª Oficina de Escalada em UC, 1º e 2º Encontro de Parques Nacionais de Montanha.
  • Programa de Incentivo ao Montanhismo:
    Estabelecimento do montanhismo como atividade de valor esportivo e cultura para a Cidade do Rio de Janeiro através do Decreto Municipal 31.906/2010.
  • Colaboração com Planos de Manejo:
    PARNASO, PNT, PNI, PESET, MONA Pão de Açúcar, PNM Paisagem Carioca e PNM Prainha e Grumari.
  • Padronizações:
    Currículo mínimo do Curso Básico de Montanhismo e do padrão de guias e instrutores voluntários e profissionais de caminhada e escalada e a criação do Sistema de Classificação de Trilhas.

 

Como surgiu a FEMERJ?

A FEMERJ começou a se formar por volta de 1993, quando os clubes se uniram para um trabalho de recuperação e instalação de cabos de aço na trilha do Dedo de Deus. A esta atividade seguiram muitas outras, e reuniões foram feitas para traçar os rumos do montanhismo. Apesar de existir desde a década de 80, a Abertura da Temporada de Montanhismo, enquanto atividade conjunta, nasceu nesse período.

A partir de 1996 começaram reuniões mensais, que passaram a contar também com a participação de profissionais de montanhismo no Rio. Isto ampliou a abrangência e a representatividade junto aos montanhistas. Estas reuniões transformaram-se em um fórum permanente de discussões e atividades, que acabou sendo batizado de Interclubes. A Interclubes reuniu clubes, profissionais e montanhistas, dando os primeiros passos em muitas das atividades e projetos que depois foram continuados pela FEMERJ. Entre eles destacam-se: a consolidação do Sistema de Graduação de Escalada; o início da luta por acessos às áreas de montanhismo; a campanha pela ética na escalada e garantia do direito autoral; e a decisão de criar uma associação de profissionais.

A FEMERJ foi fundada em 29 de agosto de 2000. Em 2002, a FEMERJ filiou-se à UIAA (União Internacional de Associações de Escalada) e em 2004 foi membro-fundador da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada (CBME).

 

Faça parte desta história